supernovas ficaadica
Comer & Beber, Passeios, Supernovas, Temporada de Inverno

Supernovas Campos do Jordão – Dicas na contramão do agito

Campos do Jordão é muito mais que o badalado centrinho turístico da Vila Capivari. Por isso o Boulevard Geneve selecionou 5 programas imperdíveis da cidade e que estão localizados na contramão do vai e vem de turistas. Para você relaxar e desfrutar de bons momentos sem pressa ;D

De boas num castelo

Sans Souci - Campos do Jordão

* Sans Souci *

A tranquila Vila Jaguaribe em Campos do Jordão é cortada pela Avenida Januário Miraglia, principal via de acesso ao centro turístico de Campos do Jordão, e na altura do número 3260 os turistas são surpreendidos por um castelo todo coberto de flores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O prédio abriga o Sans Souci, um mix de Café, Bistrô e Pâtisserie. O lugar é simplesmente um dos endereços mais encantadores da cidade. O bom gosto e os cuidados com os detalhes – da arquitetura até a decoração e a criatividade e sabor dos pratos e doces – irão te transportar para outro mundo. Um mundo no qual você esquecerá do relógio, pois vai querer curtir tranquilamente o momento, fazendo jus ao nome da casa, “Sans Souci”, expressão francesa que significa “sem preocupação”. Bienvenue au Monde “Sans Souci” ;D

Endereço e contato em:

Sans Souci no TripAdvisor

www.sanssoucibistro.com

fb.com/sanssoucibistro

*

Gastronomia de Roça

Selecionamos dois destinos que combinam visitas ao campo, gastronomia e cultura local. Um mundo livre de agrotóxicos, que respeita o meio ambiente e as tradições locais, e cujas delícias vão ficar na sua lembrança por muito tempo. Tudo com gostinho de fazenda.

* Empório dos Mellos *

mellos em

O Empório dos Mellos é responsável por um toque discreto de contemporaneidade na culinária da pacata comunidade rural dos Mellos em Campos do Jordão. Uma mistura de empório, restaurante e casa de artesanato.

Saiba mais sobre o Circuito Turístico dos Mellos, clique aqui.

Saiba mais sobre o Circuito Turístico dos Mellos, clique aqui.

A mercearia oferece verduras, legumes, pães artesanais e frutas frescas sempre fornecidas por agricultores da região. Na lojinha de artesanato o visitante encontra  peças de madeira, machetaria, bordados, velas, cerâmica e pintura em tecido. Tudo produzido pela comunidade local.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Já o restaurante homenageia a comida caipira em cada um de seus pratos, mas com uma releitura moderna. Do salão, os clientes têm vista para a comunidade dos Mellos e um jardim de roça, onde pode-se observar o vai vem de galinhas d’angola e várias espécies de passarinhos.

Endereço e contato em:

www.emporiodosmellos.com.br

 *

* Entre Vilas *

Valorizar produtos locais, privilegiando pequenos agricultores e minimizando impactos ambientais. Esta é a proposta do Restaurante Entre Vilas, localizado entre São Bento do Sapucaí e Campos do Jordão.  Com uma proposta de levar à mesa apenas aromas e sabores típicos do campo, a casa utiliza somente matérias-primas e ingredientes oriundos da fazenda e da região onde o restaurante está localizado.

Restaurante Entre Vilas

Restaurante Entre Vilas

O azeite, o vinho, os frios, as carnes, as frutas e até a cerveja do restaurante são produzidos com produtos cultivados na propriedade ou por produtores vizinhos.

Exemplo de agricultura sustentável, o Entre Vilas é referência nacional e já foi parar até no Globo Repórter.

VÍDEO - Família vive com tudo que produz na terra da Serra da Mantiqueira. Clique na imagem para assistir a reportagem do Globo Repórter.

Encante-se e aprenda com o exemplo da família do Rodrigo você também. Clique na imagem para assistir a reportagem do Globo Repórter.

Encante-se e aprenda com o exemplo da família do Rodrigo, idealizador do Entre Vilas.

Ah, já íamos nos esquecendo. Tudo é uma delícia, da visita aos vinhedos e pomares ao almoço e o cafezinho coado na hora e que faz a vez da despedida. Vale muito a pena visitar!

Endereço e contato:

www.entrevilas.com.br

*

Cervejas e Doces na Estrada do Horto

Entre a badalação da Vila Capivari e a natureza intocada do Horto Florestal de Campos do Jordão o turista encontra dois programas super agradáveis que vão fazê-lo se sentir como João e Maria quando se deparam com uma Casa de Doces no meio da floresta.

* Caras de Malte *

Caras de Malte - Campos do Jordão

Caras de Malte é o nome da cerveja caçulinha de Campos do Jordão. A micro cervejaria artesanal foi inaugurada em 2016. Localizada em meio a um bonito bosque, a Caras de Malte funciona como um combinado de pub e restaurante. Atualmente sete tipos de cerveja já são produzidos no local. E a fábrica é aberta para visitação.

Endereço e contato:

www.carasdemalte.com.br 

*

* Quicherie *

quicherie1

Os Quitutes e doces da Quicherie são tão bonitos que servem de decoração do bistrô, cujo ambiente lembra uma cabana alpina. Um ambiente agradável e um convite para um brunch, café ou chá da tarde. Já nas mesinhas da área externa os clientes dividem com os mascotes da casa a vista privilegiada da floresta de araucárias que cerca o lugar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ah, na Quicherie você come as melhores quiches de Campos do Jordão. Sem dúvida! A de quatro queijos com damasco é dos deuses. Fica a dica.

Endereço e contato:

Quicherie no TripAdvisor

*

O melhor pôr do sol da cidade

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Museu Felícia Leirner, além de principal centro cultural de Campos do Jordão, também conta com o melhor pôr do sol da cidade. Tanto que nesta temporada de inverno, o museu preparou uma programação especial batizada de Projeto Pôr-do-sol. Todo final de semana, atrações musicais, de dança, meditação e artes plásticas brindam o pôr do sol junto dos visitantes. Imperdível!!!

Endereço e contato:

www.museufelicialeirner.org.br 

fb.com/museufelicialeirner

 

***

OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Padrão
Fondue em Campos do Jordão - Boulevard Geneve
Comer & Beber, gastronomia

Fondue – Uma especialidade de Campos do Jordão

Campos do Jordão goza do prestígio de ser considerada a Suíça brasileira. Motivos para isso não faltam, o clima da cidade é comparado ao de famosas estâncias suíças como Chamonix e a arquitetura de Campos apresenta muitas casas e prédios cujos telhados remetem aos tradicionais chalés suíços. E no campo da culinária a familiaridade com o país europeu também está presente e tem nas fondues o seu principal ponto em comum.

Assim como na Suíça, a fondue está presente no cardápio da maioria dos restaurantes de Campos do Jordão. O prato há mais de 50 anos vem sendo aperfeiçoado por chefs de cozinha da cidade e provavelmente é o prato mais pedido pelos turistas. Mas o que faz dessa receita que começou como uma simples base de queijos aquecidos sobre uma chama, o prato símbolo do inverno suíço e também de Campos do Jordão? Qual é o segredo das fondues para ter caído no gosto do paladar de tanta gente? É isso que a gente resolveu contar pra todo mundo neste texto. Bora lá!

A história da fondue começa em um típico chalé suíço.

A história da fondue começa em um típico chalé suíço.

Origem

Apesar de hoje ser considerado um prato sofisticado, a origem da fondue é bastante simples e popular. No século XVII, durante o inverno, camponeses que moravam em vilarejos de regiões montanhosas da Suíça não tinham como buscar alimentos nas cidades. Assim, para se aquecer e se alimentar, os camponeses começaram a utilizar o queijo que produziam como principal ingrediente de uma comida quente, simples, saborosa e nutritiva. O processo era bastante simples. Eles derretiam diferentes tipos de queijos, que ficavam no fogo até atingirem o estado do “fondre” (fusão em francês, e de onde deriva o nome do prato), e após o derretimento e a mistura completa dos queijos, cada camponês mergulhava pedaços de pão no creme de queijo derretido e então comia. Voilá, assim como uma alternativa de alimento devido ao rigoroso inverno suíço, surgiu o prato que viria a se tornar um símbolo da Suíça e de Campos do Jordão.

Berna - Suíça

Berna – Suíça Imagina o inverno nesse lugar. Agora imagine que você é um camponês e a cidade mais próxima fica a centenas de km de distância. Deu ruim ne? Mas não para os suíços que inventaram a fondue.

A queda e o ressurgimento da fondue

Mas nos séculos seguintes com a migração de grande parte dos camponeses para os grandes centros, por conta da revolução industrial e da urbanização das cidades, a fondue foi ficando no esquecimento. Até que caiu no gosto da burguesia suíça no final do século XIX, mas já naquela ocasião os queijos utilizados eram produzidos por cada vez menos famílias de camponeses, isso fez com que o preço dos queijos subisse, e logo comer fondue virou coisa da “elite suíça”. A fondue virou um prato chique.

Não sabia? A famosa rainha Maria Antonieta adorava fondue. #SQN

Trés Chic Não sabia? A famosa rainha Maria Antonieta adorava fondue. #SQN

Fondue é prato de macho sim senhor

Foi preciso então que bravos soldados suíços entrassem em cena para retomar a fondue da elite e devolvê-la a toda sociedade.

Como? Eu explico: Em 1950 a receita da fondue de queijo entrou para o cardápio oficial do Exército Suíço. Nutritiva e saborosa a receita gannhou o paladar dos soldados. As 380 calorias que cada 100 gramas do prato carregam garantiam energia de sobra para os batalhões encararem as atividades ao ar livre durante o inverno. “Sustância”, comida pra macho, foi assim que os soldados entenderam o prato e então tomaram posse da receita levando-a consigo para casa onde continuaram se alimentando do prato, mesmo após o fim do serviço militar. Por isso até hoje na Suíça a fondue é um prato tipicamente preparado por homens.

Soldados suíços

Soldados suíços Só de boa marchando. Mas logo mais partiu fondue.

O homem que apresentou a fondue ao mundo

Mas a retomada da fondue pelos soldados só a trouxe de volta para a comunidade suíça, o mundo mesmo só se renderia ao prato francês por intermédio da criatividade de um chef suíço chamado Konrad Egli (em algumas biografias encontra-se escrito Conrad), que levou a culinária suíça para Nova Iorque onde abriu seu restaurante, o Chalet Suisse. Lá Egli, ou Konni, como era chamado pelos amigos e clientes habitués,  reinventou o prato, primeiro com a criação da fondue de carne, na qual cubos de carne são fritos em óleo quente na mesa do cliente, e posteriormente ao criar a fondue de chocolate como uma opção de sobremesa. Os dois foram de imediato sucessos absolutos e fizeram a fama do restaurante do Chef Egli.

Mr. Konrad Egli, a direita de paletó.

Mr. Konrad Egli, a direita de paletó.

E foi assim, devido a entrada da carne e do chocolate em cena que o nome “fondue” ganhou fama, e a tradicional fondue de queijo foi junto na onda do novo status adquirido e o prato então se espalhou por todo o mundo.

Cartão postal do Chalet Suisse NY.

Cartão postal do Chalet Suisse NY. Foi o restaurante de Egli que possibilitou o surgimento do tradicional rodízio de fondue de Campos do Jordão.

Em Campos do Jordão

Em Campos do Jordão as primeiras menções à fondue em menus da cidade data do início dos anos 60. A tradição ao que tudo parece teve início no Hotel Toriba, quando o gerente de origem suíça, Joseph Jurt, introduziu a receita no cardápio do restaurante do hotel.

Pioneiro - Mesa posta para fondue de carne no Toribinha, o restaurante do Hotel Toriba.

Pioneiro – Mesa posta para fondue de carne no Toribinha, o restaurante do Hotel Toriba.

De lá pra cá a fama das fondues só fez aumentar na cidade. Hoje a fondue é uma verdadeira instituição de Campos, a ponto da revista Veja Comer & Beber premiar todos os anos os melhores restaurantes que servem o prato. E uma invenção típica dos brasileiros caiu na graça dos turistas, o rodízio de fondue. Em Campos do Jordão a maioria dos restaurantes trabalha com a opção, na qual os clientes provam o tradicional de queijo, o de carne e o de chocolate. Mas não se engane, não é porque você já experimentou a fondue de um restaurante, que você já sabe como são todas. Cada restaurante tem os seus segredos, suas combinações de queijos, carnes, temperos e chocolates específicos. Apreciar todos os bons fondues da cidade pode levar semanas. Logo, vale a pena variar de restaurante sempre.

Restaurante Matterhorn

Restaurante Matterhorn Presença certa todos os anos na lista das melhores fondues de Campos.

topo-580x413

Restaurante Matterhorn - 28 anos de tradição suíça.

Tá, mas você disse que ia revelar o segredo da fondue. Afinal, qual é?

Assim  como sua origem o segredo do prato mora na simplicidade. A fondue é o prato mais pedido na cidade pelo conjunto da obra. Uma boa fondue pede um bom vinho ou um bom chá quente. A refeição acalenta e faz esquecer do friozinho que faz da porta pra fora do restaurante, convida a esquecer o corre corre, a badalação das ruas. À dois, ou bem acompanhado de amigos e familiares, faz do momento uma verdadeira celebração. E a receita nasceu para alimentar famílias de camponeses. Por isso uma fondue nunca deve ser apreciada sozinha. Faz parte do encanto o revezamento de “espetadas” e imersões dos garfos na panela. As pausas incentivam as conversas, a gentileza entre os casais e muitas risadas entre os grupos. E nada de ficar contando as calorias do prato ao experimentá-lo em Campos do Jordão. Porque cidades como Campos não são para isso. Cidades como Campos do Jordão são para aproveitar sem culpa e uma boa fondue casa perfeitamente com a atmosfera da cidade serrana.

Fondue - Mais que um prato. Uma celebração à convivência.

Fondue – Mais que um prato. Uma celebração à convivência.

E Campos do Jordão se orgulha da tradição da fondue que carrega e nem liga se você ao pedir o prato pedir “um fondue”, ou depois dizer que “o fondue estava ótimo”. A fondue ou “o fondue”, independente do gênero, pra gente tanto faz. Só ficaremos tristes se você for embora sem provar. Por isso desde já: Bom apetite! Bom namoro! Boas risadas! Que você tenha um jantar inesquecível  ;D

Confira a receita suíça original da fondue de queijo. Clique na imagem para assistir o vídeo.

Confira a receita suíça original da fondue de queijo. Clique na imagem para assistir o vídeo.

#Ficaadica

Uma tradição suíça brinca com os frequentes pedaços de pães, carnes e frutas que se perdem na panela. Entre os suíços o primeiro que perde todo um pedaço de pão, carne ou fruta na panelinha de fondue paga a conta. Um jogo divertido que pode animar ainda mais a sua reunião em volta desse prato inventado pelos suíços, mas que tem a cara de  Campos do Jordão.

***

 OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Padrão
fondue-matterhorn
Sem categoria

A Fondue e suas curiosidades: Conheça um pouco sobre esta deliciosa especialidade de inverno

O tradicional prato de origem suíça é um dos preferidos de quem procura se aquecer nos dias frios de outono e inverno.

Levado à mesa em um rechaud aquecido por uma lamparina, a iguaria é servida diretamente por quem estiver degustando o prato, que irá mergulhar o pão no queijo derretido usando um garfo específico, e compartilhar o alimento de forma agradável e descontraída.

Mas você já imaginou como surgiu este apetitoso prato?

Com origem na região de fronteira entre a França e Suíça, o nome fondue vem do termo francês fondre (derreter) ou fundir, caracterizando o derretimento e mistura dos queijos Gruyère e Emmental.

Uma das versões sobre a origem do prato conta que sua criação teria ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial, quando os camponeses produtores de leite, que viviam nos Alpes Suíços, precisaram se alimentar da sua produção de queijos.

Assim para evitar se expor ao frio das montanhas e aos perigos dos combates, eles derretiam os restos dos queijos para fazer um creme, onde mergulhavam o pão e comiam para matar a fome.

Outra vertente acredita que os queijos usados para o preparo da fondue seriam muito caros, ficando fora do alcance dos camponeses. Então imagina-se que o prato seria consumido apenas por pessoas ricas, que viviam nas cidades suíças durante os séculos XVIII e XIX.

Sua disseminação teria acontecido na década de 1950, quando a fondue entrou nas cozinhas do exército e foi espalhada pelos soldados, que levaram a receita quando voltavam para casa.

O primeiro registro sobre o preparo da iguaria está publicado em um livro de receitas escrito em 1699 na cidade de Zurique.

Com o tempo a arte de espetar o pão mergulhado no queijo derretido ganhou outros elementos e outros sabores. Como a fondue de carne, que é frita em óleo quente e também a popular fondue de chocolate e frutas servida como sobremesa. Além de outras variações.

A fama da fondue teria se espalhado pelo mundo na década de 50, quando um chefe de restaurante em Nova Iorque, especializado em comida suíça, começou a servir o prato para seus clientes.

Em Campos do Jordão a fondue é uma das especialidades que pode ser facilmente encontrada nos restaurantes da cidade. Além de combinar muito bem com a elegância e o clima da montanha.

Se toda esta história aumentou ainda mais sua vontade de saborear uma deliciosa fondue, então faça suas malas e pegue a estrada para o comer a autêntica fondue suíça na serra paulista.

Fotos: Cristiano Tomaz (Restaurante Matterhorn)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Padrão