campos pinhão
Comer & Beber, gastronomia

Campos de Pinhão

Muitas famílias de Campos do Jordão sobrevivem da colheita e venda do pinhão para turistas e restaurantes. Todo bom restaurante da cidade tem ao menos um prato em seu cardápio que leva a semente da araucária. E não é porque é típico não, é porque pinhão é gostoso mesmo.

E o pinhão é a estrela do vídeo dessa semana  da TV Boulevard Geneve

Saiba mais sobre o pinhão, clicando nas imagens abaixo:

pinhão novo

pinhão pinhão blog

***

OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Padrão
Fondue em Campos do Jordão - Boulevard Geneve
Comer & Beber, gastronomia

Fondue – Uma especialidade de Campos do Jordão

Campos do Jordão goza do prestígio de ser considerada a Suíça brasileira. Motivos para isso não faltam, o clima da cidade é comparado ao de famosas estâncias suíças como Chamonix e a arquitetura de Campos apresenta muitas casas e prédios cujos telhados remetem aos tradicionais chalés suíços. E no campo da culinária a familiaridade com o país europeu também está presente e tem nas fondues o seu principal ponto em comum.

Assim como na Suíça, a fondue está presente no cardápio da maioria dos restaurantes de Campos do Jordão. O prato há mais de 50 anos vem sendo aperfeiçoado por chefs de cozinha da cidade e provavelmente é o prato mais pedido pelos turistas. Mas o que faz dessa receita que começou como uma simples base de queijos aquecidos sobre uma chama, o prato símbolo do inverno suíço e também de Campos do Jordão? Qual é o segredo das fondues para ter caído no gosto do paladar de tanta gente? É isso que a gente resolveu contar pra todo mundo neste texto. Bora lá!

A história da fondue começa em um típico chalé suíço.

A história da fondue começa em um típico chalé suíço.

Origem

Apesar de hoje ser considerado um prato sofisticado, a origem da fondue é bastante simples e popular. No século XVII, durante o inverno, camponeses que moravam em vilarejos de regiões montanhosas da Suíça não tinham como buscar alimentos nas cidades. Assim, para se aquecer e se alimentar, os camponeses começaram a utilizar o queijo que produziam como principal ingrediente de uma comida quente, simples, saborosa e nutritiva. O processo era bastante simples. Eles derretiam diferentes tipos de queijos, que ficavam no fogo até atingirem o estado do “fondre” (fusão em francês, e de onde deriva o nome do prato), e após o derretimento e a mistura completa dos queijos, cada camponês mergulhava pedaços de pão no creme de queijo derretido e então comia. Voilá, assim como uma alternativa de alimento devido ao rigoroso inverno suíço, surgiu o prato que viria a se tornar um símbolo da Suíça e de Campos do Jordão.

Berna - Suíça

Berna – Suíça Imagina o inverno nesse lugar. Agora imagine que você é um camponês e a cidade mais próxima fica a centenas de km de distância. Deu ruim ne? Mas não para os suíços que inventaram a fondue.

A queda e o ressurgimento da fondue

Mas nos séculos seguintes com a migração de grande parte dos camponeses para os grandes centros, por conta da revolução industrial e da urbanização das cidades, a fondue foi ficando no esquecimento. Até que caiu no gosto da burguesia suíça no final do século XIX, mas já naquela ocasião os queijos utilizados eram produzidos por cada vez menos famílias de camponeses, isso fez com que o preço dos queijos subisse, e logo comer fondue virou coisa da “elite suíça”. A fondue virou um prato chique.

Não sabia? A famosa rainha Maria Antonieta adorava fondue. #SQN

Trés Chic Não sabia? A famosa rainha Maria Antonieta adorava fondue. #SQN

Fondue é prato de macho sim senhor

Foi preciso então que bravos soldados suíços entrassem em cena para retomar a fondue da elite e devolvê-la a toda sociedade.

Como? Eu explico: Em 1950 a receita da fondue de queijo entrou para o cardápio oficial do Exército Suíço. Nutritiva e saborosa a receita gannhou o paladar dos soldados. As 380 calorias que cada 100 gramas do prato carregam garantiam energia de sobra para os batalhões encararem as atividades ao ar livre durante o inverno. “Sustância”, comida pra macho, foi assim que os soldados entenderam o prato e então tomaram posse da receita levando-a consigo para casa onde continuaram se alimentando do prato, mesmo após o fim do serviço militar. Por isso até hoje na Suíça a fondue é um prato tipicamente preparado por homens.

Soldados suíços

Soldados suíços Só de boa marchando. Mas logo mais partiu fondue.

O homem que apresentou a fondue ao mundo

Mas a retomada da fondue pelos soldados só a trouxe de volta para a comunidade suíça, o mundo mesmo só se renderia ao prato francês por intermédio da criatividade de um chef suíço chamado Konrad Egli (em algumas biografias encontra-se escrito Conrad), que levou a culinária suíça para Nova Iorque onde abriu seu restaurante, o Chalet Suisse. Lá Egli, ou Konni, como era chamado pelos amigos e clientes habitués,  reinventou o prato, primeiro com a criação da fondue de carne, na qual cubos de carne são fritos em óleo quente na mesa do cliente, e posteriormente ao criar a fondue de chocolate como uma opção de sobremesa. Os dois foram de imediato sucessos absolutos e fizeram a fama do restaurante do Chef Egli.

Mr. Konrad Egli, a direita de paletó.

Mr. Konrad Egli, a direita de paletó.

E foi assim, devido a entrada da carne e do chocolate em cena que o nome “fondue” ganhou fama, e a tradicional fondue de queijo foi junto na onda do novo status adquirido e o prato então se espalhou por todo o mundo.

Cartão postal do Chalet Suisse NY.

Cartão postal do Chalet Suisse NY. Foi o restaurante de Egli que possibilitou o surgimento do tradicional rodízio de fondue de Campos do Jordão.

Em Campos do Jordão

Em Campos do Jordão as primeiras menções à fondue em menus da cidade data do início dos anos 60. A tradição ao que tudo parece teve início no Hotel Toriba, quando o gerente de origem suíça, Joseph Jurt, introduziu a receita no cardápio do restaurante do hotel.

Pioneiro - Mesa posta para fondue de carne no Toribinha, o restaurante do Hotel Toriba.

Pioneiro – Mesa posta para fondue de carne no Toribinha, o restaurante do Hotel Toriba.

De lá pra cá a fama das fondues só fez aumentar na cidade. Hoje a fondue é uma verdadeira instituição de Campos, a ponto da revista Veja Comer & Beber premiar todos os anos os melhores restaurantes que servem o prato. E uma invenção típica dos brasileiros caiu na graça dos turistas, o rodízio de fondue. Em Campos do Jordão a maioria dos restaurantes trabalha com a opção, na qual os clientes provam o tradicional de queijo, o de carne e o de chocolate. Mas não se engane, não é porque você já experimentou a fondue de um restaurante, que você já sabe como são todas. Cada restaurante tem os seus segredos, suas combinações de queijos, carnes, temperos e chocolates específicos. Apreciar todos os bons fondues da cidade pode levar semanas. Logo, vale a pena variar de restaurante sempre.

Restaurante Matterhorn

Restaurante Matterhorn Presença certa todos os anos na lista das melhores fondues de Campos.

topo-580x413

Restaurante Matterhorn - 28 anos de tradição suíça.

Tá, mas você disse que ia revelar o segredo da fondue. Afinal, qual é?

Assim  como sua origem o segredo do prato mora na simplicidade. A fondue é o prato mais pedido na cidade pelo conjunto da obra. Uma boa fondue pede um bom vinho ou um bom chá quente. A refeição acalenta e faz esquecer do friozinho que faz da porta pra fora do restaurante, convida a esquecer o corre corre, a badalação das ruas. À dois, ou bem acompanhado de amigos e familiares, faz do momento uma verdadeira celebração. E a receita nasceu para alimentar famílias de camponeses. Por isso uma fondue nunca deve ser apreciada sozinha. Faz parte do encanto o revezamento de “espetadas” e imersões dos garfos na panela. As pausas incentivam as conversas, a gentileza entre os casais e muitas risadas entre os grupos. E nada de ficar contando as calorias do prato ao experimentá-lo em Campos do Jordão. Porque cidades como Campos não são para isso. Cidades como Campos do Jordão são para aproveitar sem culpa e uma boa fondue casa perfeitamente com a atmosfera da cidade serrana.

Fondue - Mais que um prato. Uma celebração à convivência.

Fondue – Mais que um prato. Uma celebração à convivência.

E Campos do Jordão se orgulha da tradição da fondue que carrega e nem liga se você ao pedir o prato pedir “um fondue”, ou depois dizer que “o fondue estava ótimo”. A fondue ou “o fondue”, independente do gênero, pra gente tanto faz. Só ficaremos tristes se você for embora sem provar. Por isso desde já: Bom apetite! Bom namoro! Boas risadas! Que você tenha um jantar inesquecível  ;D

Confira a receita suíça original da fondue de queijo. Clique na imagem para assistir o vídeo.

Confira a receita suíça original da fondue de queijo. Clique na imagem para assistir o vídeo.

#Ficaadica

Uma tradição suíça brinca com os frequentes pedaços de pães, carnes e frutas que se perdem na panela. Entre os suíços o primeiro que perde todo um pedaço de pão, carne ou fruta na panelinha de fondue paga a conta. Um jogo divertido que pode animar ainda mais a sua reunião em volta desse prato inventado pelos suíços, mas que tem a cara de  Campos do Jordão.

***

 OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Padrão
Comer & Beber

Acerte na escolha da sua cerveja neste inverno!

Existe um aforismo atribuído a Platão, lendário filósofo e matemático grego, que diz o seguinte: “Sábio, o homem que inventou a cerveja”.  Tomo emprestado o aforismo para dizer, sábios, os homens modernos que neste início de século resgataram a cerveja do status de bebida menor, conferindo-a de volta o seu devido valor.

Obama já sancionou, "Cerveja é tão bom quanto vinho". Foto por Charles Dharapak|Getty Images

Obama já sancionou, “Cerveja é tão bom quanto vinho”. Foto por Charles Dharapak|Getty Images

Uma arte com mais de oito mil anos não poderia continuar menosprezada. Sorte nossa que nos últimos 20 anos um movimento cervejeiro parece ter tomado o mundo. O que? Não ouviu o chamado? Algo como: “Amantes de cerveja uni-vos!”.  Ao menos pra gente do Boulevard Geneve a sensação é de que algo assim aconteceu. Pois de repente grandes cervejarias europeias desembarcaram em países emergentes como o Brasil e apostaram alto em campanhas de marketing. Consumidores se tornaram mais criteriosos com suas escolhas e muitos até se lançaram na jornada de produzirem suas próprias cervejas.

Hoje essa onda cervejeira já não é mais novidade, está na cara de todos. Prateleiras das melhores adegas de supermercados, empórios, liquor stores e distribuidoras de bebidas, mantém espaços de destaque para as cervejas. Bares e restaurantes disponibilizam cartas de cerveja. Sommeliers ampliaram sua expertise para atender os amantes das cervejas. E novos rótulos de cerveja não param de surgir.

Para você não errar a mão no inverno - Toda a família Baden Baden cai muito bem em qualquer época do ano. Mas esse quinteto brilha mais no inverno.

Para você não errar a mão no inverno – Toda a família Baden Baden cai muito bem em qualquer época do ano. Mas esse quinteto brilha ainda mais no inverno.

E o Boulevard Geneve não ficou de fora desse movimento. Com muito orgulho o BG se tornou a casa do Baden Baden,  a choperia mais famosa do Brasil. Somos testemunhas dos primeiros passos da choperia, cuja história começou na segunda metade dos anos 80 e veio culminar na premiada cerveja gourmet de mesmo nome, lançada em 1999.

Um casamento perfeito - Baden Baden e Boulevard Geneve se misturam. Não tem como visitar um, sem olhar para o outro. Aliás, já tinha reparado no BG lá de cima da fachada?  ;-)    foto: Panoramio

Tomar cerveja é muito bom. Mas num lugar como esse...fica ainda melhor. foto: Acervo Baden Baden.

Tomar cerveja é muito bom  e num lugar como esse fica ainda melhor. foto: Acervo Baden Baden.

Ah, mas tem também o Matterhorn. Mix de restaurante/merceari e pub/tabacaria. No térreo, o clima de taverna se mistura a descontração do boteco brasileiro, uma junção ideal para encontros e comemorações. No cardápio,cervejas de todas as partes do mundo.

Ah, mas tem também o Matterhorn. Mix de restaurante/mercearia e pub/tabacaria. No térreo, o clima de taverna se mistura à descontração de boteco brasileiro. No cardápio,cervejas de todas as partes do mundo.

Também nos alegra muito a presença do Empório Matterhorn, que assim como o Baden Baden há mais de 25 anos está instalado nas dependências do Boulevard Geneve. A casa nos últimos dois anos ampliou  seu mix de produtos, abraçando também  as cervejas gourmets e artesanais.

Aproveitando a expertise das duas casas, o Boulevard Geneve selecionou junto a elas e à comunidade Brejas, algumas dicas para você aproveitar ainda mais a sua cerveja favorita neste inverno.

Na teoria é mais ou menos assim:

# Cervejas leves acompanham comidas leves, enquanto cervejas mais fortes, intensas e encorpadas harmonizam melhor com comidas mais pesadas e gordurosas.

# Pense em Ales como Vinho Tinto e Lagers como Vinho Branco. Como as Ales são fermentadas em temperaturas mais altas, normalmente são de aromas e sabores mais complexos. Lagers, por serem fermentadas em temperaturas mais baixas, são normalmente mais leves, com aromas e sabores mais suaves. Outro comparativo válido é pensar em cervejas de alto amargor como se fossem vinhos bem ácidos ou com bastante tanino.

Da esquerda para direita: A cerveja belga Leffe Blonde, a artesanal brasileira Eisenbahn Weizenbock e a alemã Hacker-Pschorr Anno 1417. Sugestões do Restaurante Matterhorn, que conta com pouco mais de 20 rótulos de cervejas especiais no seu empório.

# Quanto mais escura a cerveja, mais escura deve ser a comida da harmonização. Cervejas escuras recebem essa cor dos maltes escuros, que normalmente têm um sabor mais tostado e algumas vezes mais adocicado, que combina bem com os mesmos sabores das comidas bem assadas ou grelhadas.

# Quanto mais picante for a comida, mais lupulada e amarga deve ser a cerveja. O lúpulo consegue cortar bem o efeito das pimentas, permitindo que você consiga sentir melhor os sabores tanto do prato quanto da cerveja.

# Deixe que a região seja seu guia. Cervejas e comidas originárias da mesma região quase sempre funcionam bem juntas.

Leve um pouquinho de Campos do jordão com você. Visite a loja  Baden Baden, anexa à choperia.

Leve um pouquinho de Campos do jordão com você. Visite a loja Baden Baden, anexa à choperia.

# É importante ter atenção especial à sequência em que são servidas as cervejas. Se você planeja servir cervejas de diferentes estilos, prefira começar com as mais leves, tanto em sabores quanto em álcool, evoluindo para cervejas mais complexas e encorpadas no final. O mesmo vale para cervejas secas e doces. Comece pelas secas. O objetivo é que os sabores mais intensos não atrapalhem ou sobreponham os sabores mais leves. Também evita que as pessoas sintam-se pesadas ou sonolentas logo no início da harmonização.

Agora na prática: Saiba quais cervejas combinar com os pratos tradicionais de Campos do Jordão

Comidinhas - O tradicional bolinho de bacalhau vai muito bem com a dupla Baden Baden Weiss ou Cristal.

Comidinhas – O tradicional bolinho de bacalhau vai muito bem com a dupla Baden Baden Weiss ou Cristal.

Comidinhas - A linguiça de metro recheada com queijo pode ganhar a companhia da Baden Baden Stout.

Comidinhas – A linguiça de metro recheada com queijo pode ganhar a companhia da Baden Baden Red Ale.

baden 4 medalhão

Prato principal – O filé mignon tem na Baden Baden Golden uma poderosa aliada para explorar o seu sabor.

Prato principal - O famoso chucrute do Baden Baden se sobressai com uma Baden Baden Red Ale.

Prato principal – O famoso chucrute do Baden Baden se sobressai com uma Baden Baden Red Ale.

Prato principal - A especiaria queridinha de 11 em cada 10 restaurantes de Campos do Jordão pode ser harmonizada com a badalada Baden Baden Cristal.

Prato principal – A especiaria queridinha de 11 em cada 10 restaurantes de Campos do Jordão pode ser harmonizada com a badalada Baden Baden Cristal.

Sobremesa - Doces que levam chocolate podem ser apreciados com uma Baden Baden Stout.

Sobremesa – Doces que levam chocolate podem ser apreciados com uma Baden Baden Stout.

Sobremesa - O contraste do apfelstrudel com chantilly combinado com a Baden Baden Golden surpreende.

Sobremesa – O contraste do apfelstrudel com chantilly combinado com a Baden Baden Golden surpreende.

Prato principal - A fondue de carne do Matterhorn pode ser harmonizada com a cerveja belga Leffe Blond, presente no cardápio do empório.

Prato principal – A fondue de carne do Matterhorn pode ser harmonizada com a cerveja belga Leffe Blond, presente no cardápio do empório.

Prato principal - A fondue de queijo do Matterhorn pode ser harmonizada com a cerveja alemã Hacker-Pschorr Anno 1417, que também está presente no cardápio do empório.

Prato principal – A fondue de queijo do Matterhorn pode ser harmonizada com a cerveja alemã Hacker-Pschorr Anno 1417, que também está presente no cardápio do empório.

Sobremesa - A cerveja escura e artesanal Eisenbahn Weizenbock faz bonito com a fondue de queijo do Matterhorn.

Sobremesa – A cerveja escura e artesanal Eisenbahn Weizenbock faz bonito com a fondue de chocolate do Matterhorn.

Nunca é demais lembrar. Aprecie com responsabilidade e moderação.

***

fonte das dicas: Brejas

Mais Informações…

Para dicas de harmonização com cervejas Baden Baden, clique aqui.

sites: www.matterhorn.com.br  |  www.obadenbaden.com.br

OFERECIMENTO

_______________________________________________

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Padrão