Festa da Cerejeira de Campos do Jordão
Eventos, Passeios

Festa da Cerejeira de Campos do Jordão

Festa das Cerejeiras – Viva Sakura!

“Se as flores estão aguentando, nós temos que fazer o mesmo”. Essa frase é recorrente no documentário “As cerejeiras e a tsunami”, um dos filmes mais tocantes sobre a tragédia que abalou o Japão em 2011. Mesmo tendo sido submersas pela onda gigante as árvores floresceram poucas semanas após a tragédia. Não à toa a Cerejeira (no Japão ela é chamada de Sakura, pronuncia-se sakurá) é considerada um símbolo de renovação no país. A espécie é a primeira a “dar flor”, o que anuncia a transição do rigoroso inverno para a florida primavera japonesa.

Hanami

Por isso, assim como os samurais são considerados os melhores homens entre os homens, a flor de cerejeira é considerada a flor das flores pelos japoneses.  O culto às cerejeiras é tão grande que o “hanami” (observação das flores) é uma festa nacional e a tradição vem desde o ano 794 depois de Cristo.

No Japão é assim a galera se joga aos pés das sakuras. Confira uma matéria do Fantástico sobre a celebração da Sakura, clique aqui.

No Japão é assim, a galera se joga aos pés das sakuras. Confira uma matéria do Fantástico sobre a celebração da Sakura, clique aqui.

Com a explosão das flores nos primeiros dias de abril os japoneses invadem os parques e as ruas coloridas pelo rosa das cerejeiras. Munidos com máquinas fotográficas e cestas de piquenique, os trabalhadores são liberados mais cedo do trabalho e se reúnem debaixo das árvores para confraternizar.

Você Sabia? Um pé de cerejeira com mais de mil anos localizado na cidade de Hiroshima sobreviveu à bomba atômica e floresce normalmente.

Você Sabia? Um pé de cerejeira com mais de mil anos, localizado na cidade de Hiroshima, sobreviveu à bomba atômica e floresce normalmente mesmo depois da radiação. Na foto: Detalhe de flor de cerejeira em Campos do Jordão-SP.

Hoje em dia o culto a sakura se repete em diferentes partes do mundo (veja fotos), com colônias japonesas celebrando o fim do inverno à sombra das cerejeiras.

Hanami - É só sentar e contemplar.

Hanami – É só sentar e contemplar.Campos do Jordão-SP

*

Festa da Cerejeira de Campos do Jordão

Em Campos do Jordão a Festa das Cerejeiras já faz parte do calendário oficial de eventos da cidade. O evento acontece nos dois últimos finais de semana de julho e nos dois primeiros de agosto. 

Recanto Sakura Home - Campos do Jordão

Recanto Sakura Home – Campos do Jordão

A festa acontece no Parque das Cerejeiras Sakura Home, a área pertence a Enkyo Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo e abriga uma casa de repouso para descendentes japoneses.

O Recanto Sakura Home mistura o verde das araucárias com o rosa das cerejeiras. Lindo! Lindo!

O Recanto Sakura Home combina o verde das araucárias com o rosa das cerejeiras. Lindo! Lindo!

Cultura Japonesa

Na festa das cerejeiras de Campos do Jordão a colônia japonesa e visitantes não costumam fazer piquenique debaixo das árvores. Talvez porque depois da beleza das cerejeiras, seja a culinária japonesa a principal atração da festa. Turistas enchem a praça de alimentação para saborear pratos como o Bentô, o Sushi, o Tempurá, a Truta na Chapa, o Udon, além do tradicional Yakissoba.

A renda arrecada com as barracas da Festa da Cerejeiras é toda revertida para a manutenção da Casa de Repouso.

A renda arrecada com as barracas da Festa da Cerejeiras é toda revertida para a manutenção da Casa de Repouso.

Em comum com o Hanami do Japão a festa de Campos do Jordão apresenta manifestações culturais japonesas como a venda de artesanato, cerimônias do chá, recitais de haikus, atrações musicais, teatro e danças típicas. Sem falar nos turistas munidos de câmeras fotográficas e da centena de celulares apontados para as árvores.

Assim como os japoneses, os brasileiros não podem ver uma cerejeira que já saem clicando. Foto por Felipe Paraense.

Assim como os japoneses, os brasileiros não podem ver uma cerejeira que já saem clicando. Foto por Felipe Paraense.

Porque assim como sentar-se sob a sombra das cerejeiras, registrar a beleza em fotografias já faz parte da tradição e funciona como uma prece do bonito culto às cerejeiras. Um culto cuja mensagem principal serve a todos os povos: Ainda que tudo esteja desabando e que os dias frios do inverno tenham sido difíceis, sempre haverá uma primavera para quem tiver a força, a coragem e a determinação de uma cerejeira.

***

Serviço

Festa da Cerejeira de Campos do Jordão

A 49ª Festa da Cerejeira em Flor de Campos do Jordão é uma realização da Enkyo, da Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo – Recanto de Repouso Sakura Home e do Clube Cultural e Recreativo Cereja com o apoio da Prefeitura Municipal de Campos do Jordão e da Setur.

Confira a programação completa, clique aqui.

Festa da Cerejeira de Campos do Jordão

Festa da Cerejeira de Campos do Jordão

Mais informações em: fb.com/festadacerejeira

Local: Parque das Cerejeiras Sakura Home

Endereço: Av. Tassaburo Yamaguchi, 2173
Vila Albertina – Campos do Jordão – SP
Horário: das 09h as 16h
Ingressos a venda no local: R$ 16
Idosos e estudantes com carteirinha: R$ 8
Crianças até 6 anos não pagam
Estacionamento gratuito no local havendo disponibilidade de vagas
Informações: Recanto de Repouso Sakura Home: (12) 3662-2911

***

Bônus: Confira o trailer do documentário “As Cerejeiras e a Tsunami”. E logo abaixo um trecho de uma entrevista da diretora Lucy Walker, para o site Cinema Without Borders. obs: O trailer está em inglês, mas ainda que você não domine o idioma vale a pena assistir as imagens mesmo assim.

“Penso que nada havia me preparado para o choque da total devastação produzida pelo tsunami, como ele havia destruído cidades inteiras, matando mais de 15 mil pessoas, com 7 mil ainda desaparecidos. Ainda que tivesse visto e lido muito a respeito, fotos não podem capturar o impacto em 360 graus da destruição.

Primeiro temia que as pessoas não quisessem falar conosco. Ouvira que a cultura japonesa é muito reservada, particularmente no que concerne a estrangeiros, mas descobri que as pessoas realmente queriam contar sua história. Surgiam naquele cenário de aparência pós-apocalíptica especialmente para nos encontrar. Três ocidentais, chegando a uma das áreas mais esvaziadas da região, possivelmente os intrigava também, mas principalmente tinham a preocupação de que as pessoas não estivessem ouvindo suas histórias. Assim o filme tem um tanto de fábula de cura, é sobre como essas pessoas encontraram coragem para seguir em frente, e para reviver e reconstruir em face de tamanha perda e devastação, assim como a flor de cerejeira, símbolo da primavera e dos novos começos, estava se abrindo. É uma imagem encorajadora e incrivelmente bela desse renascer, e eu não precisava forçar as pessoas a usar a comparação nas entrevistas — elas espontaneamente falavam da flor de cerejeira, constantemente. Quando falavam de esperança e de seguir em frente, apontavam para as árvores diziam — elas ficaram submersas na água salgada e não morreram, é por isso que estou aqui! Assim, não senti que estava impondo a elas algum tema tolo para meu filme, surgiu natural e organicamente.

 Lucy Walker, em entrevista a Rachel O’Meara

***

OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Padrão