arquitetura de Campos do Jordão
Cultura, Reportagem

A arquitetura de Campos do Jordão

O prestigiado arquiteto brasileiro Jorge Wilheim, falecido este ano, certa vez em uma conversa com o arquiteto jordanense José Roberto Damas Cintra, disse: “Campos do Jordão não tem um estilo de arquitetura definido, tem um jeitão.” Definições genéricas como arquitetura em estilo alpino ou arquitetura suíça, não zeram o debate quando o assunto é qual é o estilo arquitetônico da cidade. A verdade é que Campos do Jordão reúne uma variada mistura de padrões arquitetônicos trazidos de fora do país após a segunda guerra  mundial e intensificada a partir do boom turístico do final dos anos 80, quando o mercado da construção local passa a se inspirar ainda mais na arquitetura de países de clima frio.

Telhados agudos de caimento íngreme. Característica marcante da maioria das construções de Campos do Jordão.

Telhados agudos de caimento íngreme. Característica marcante da maioria das construções de Campos do Jordão.

Mas dentro dessa mistura de padrões, alguns se sobressaem conforme veremos neste post. Basicamente são eles: Chalés Suíços, Estilo Normando, Enxaimel e o estilo local dos Chalés de Pinho jordanense. Conheça o “jeitão” da arquitetura de Campos do Jordão.

Chalés Suíços

Estilo comum  das casas de campo dos alpes suíços, geralmente erguidas em madeira, com telhado de grande caimento e beirais avançados. Sua releitura para obras contemporâneas apresenta, geralmente, dois pavimentos, telhado com duas águas, sacada frontal ou pórtico com balaustrada de volutas, ornamentos de madeira, tabeca de tábua e mata-junta ou estuque ornamentado.

Casa no estilo típico chalé suíço. Atenção para o telhado que desce até o chão.

Um típico chalé suíço em Campos do Jordão. Atenção para o telhado que desce até o chão.

Obra assinada pelo escritório de arquitetura Tadeu Sales, em Campos do Jordão. O telhado já não chega até o chão, mas mantém uma inclinação de 75°.

Obra assinada pelo escritório de arquitetura Tadeu Sales, em Campos do Jordão. O telhado já não chega até o chão, mas mantém uma inclinação de 75%.

Uma releitura moderna de chalé suíço, em Campos do Jordão. Obra do escritório Damas Cintra.

Uma releitura moderna de chalé suíço, em Campos do Jordão. Obra do escritório Damas Cintra.

Estilo Normando

Trata-se de uma construção assimétrica originária das casas de campo da região da Normandia na França, muito comum nos anos 30. As construções costumam apresentar telhado cônico e íngreme, paredes de alvenaria mista de tijolos e pedra, estuques e anela com várias vidraças.

Fachada do hotel Vila Inglesa, fundado em 1947.

Fachada do hotel Vila Inglesa, fundado em 1947.

Fachada do hotel Orotour, antigo Hotel dos Lagos, fundado originalmente em 1945.

Fachada do hotel Orotour, antigo Hotel dos Lagos, fundado originalmente em 1945.

Chalé de Pinho Jordanense

Construídos entre os anos 20 e os anos 40 os chalés de pinho jordanense são típicos de Campos do Jordão. A obra consiste em chalés erguidos de pinho local sobre pilares de alvenaria, pedras ou até madeira como a aroeira. Por ser elevado do chão o porão é mais arejado, excelente para o armazenamento de lenha. Dependências como banheiro e cozinha são de alvenaria. Bem preservados os chalés de pinho jordanense até hoje servem de residência para milhares de moradores da cidade.

A vila Ferraz é um bairro que abriga muitos chalés de pinho jordanense. A maioria construídos nas décadas de 1920 e 1940.

A vila Ferraz é um bairro que abriga muitos chalés de pinho jordanense. A maioria construídos nas décadas de 1920 e 1940.

Enxaimel

O estilo arquitetônico enxaimel remete a edifícios europeus e norte-americanos dos séculos XVI e XVII. O estilo chama a atenção pela mistura de elementos.

Um casamento perfeito. Baden Baden e Boulevard Geneve se misturam. Não tem como visitar um, sem olhar para o outro. Aliás, já tinha reparado no BG lá de cima da fachada ;)  foto: Panoramio

Boulevard Geneve – O estilo Enxaimel é o mais presente no centrinho turístico da vila Capivari. foto: Panoramio

A técnica do enxaimel chegou ao Brasil por meio de imigrantes alemães, que se instalaram principalmente no sul do País. Sua técnica de construção consiste em levantar primeiro o esqueleto das casas, usando grossas toras de madeira. Assim são montadas vigas verticais, horizontais e inclinadas, para manter a sustentação. Depois de pronta a armação, os espaços são preenchidos com materiais típicos de cada região. No Brasil usou-se principalmente taipa, tijolos maciços, pedra e barro.

Um "eu te amo" com esse plano de fundo fica muito mais gostoso. Um "casa comigo" então, inesquecível. Foto por Cristiano Tomaz.

O corredor da torre do Boulevard Geneve  lembra uma vila europeia. Apesar das casas apresentarem a mesma arquitetura, cada uma é decorada de maneira particular. Foto por Cristiano Tomaz.

O primeiro espaço a adotar esta arquitetura em Campos do Jordão foi o Boulevard Geneve. Muito presente em filmes medievais, o enxaimel chamou a atenção do empresário paulistano Lélio Gomes, que após algumas pesquisas, escolheu este estilo para construir sua galeria de lojas.

“Este estilo de construção está muito presente no sul da Alemanha, norte da França e na Inglaterra. Em 1400 e 1500 usavam o cerne das árvores para fazer a estrutura de madeira, enchendo os vãos com tijolos”, explica o empresário Lélio Gomes, idealizador do empreendimento em Campos do Jordão.

Marco histórico de Campos do Jordão, o Boulevard Geneve é um dos pontos turísticos mais fotografados da cidade.

Marco histórico de Campos do Jordão, o Boulevard Geneve é um dos pontos turísticos mais fotografados da cidade.

O projeto idealizado por Lélio previa que a construção representasse uma pequena vila. Assim cada parede deveria ter suas características próprias, como se tivessem sido construídas por famílias alemãs ou inglesas.  Uma das fachadas foi inspirada na primeira farmácia construída em Viena. Outra foi copiada da foto de um castelo, próximo ao Windsor na Inglaterra.

Uma empresa de Santa Catarina deu início à construção do Boulevard Geneve,  trabalhando com duas carretas de madeira chegadas de Blumenau. Já os detalhes tem um toque local, ficaram a cargo de um artesão de Campos do Jordão, que trabalhou nas testeiras de todo o prédio, entalhando manualmente cada desenho.

A gente é suspeito para falara, mas fala a verdade, é ou não é o lugar mais charmoso de Campos do Jordão.

A gente é suspeito para falar, mas na boa, é ou não é o lugar mais charmoso de Campos do Jordão?

Inaugurado em 1985 o Boulevard Geneve completou 30 anos em 2015. A ideia da vila europeia deu certo e teve aprovação tanto dos lojistas quanto dos turistas, que fizeram do espaço um dos mais fotografados do Brasil.

Hoje a arquitetura do Boulevard Geneve  tornou-se referência na cidade e está presente em grande parte das regiões turísticas de Campos do Jordão.

***

Texto final: Gilmar Silva

Reportagem: Gilmar Silva e Cristiano Tomaz

***

OFERECIMENTO

Logo BG 30 Anos

***

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Padrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>